Month: May 2011

Uma viagem à Toscana – Zabaglione Gelato com lima e mirtilos

Scroll down for a small English introduction.
 
O Food ‘n Flix um grupo que reúne filmes e comida, decorreu em Maio em casa da Girlichef que escolheu Under the Tuscan Sun como inspiração para as nossas receitas este mês. O filme é baseado na obra com o mesmo nome de Frances Mayes e acompanha a história de uma escritora americana que, depois de um divórcio, se muda para Itália onde acaba por comprar uma casa em ruínas. A reconstrução da casa acompanha o renascimento da sua vida, os novos amigos, uma nova forma de viver e a busca de um novo amor.
 
 
  Para esta receita inspirei-me nas cenas passadas no jardim, que ao pouco vai também surgindo,  acabando por ser o cenário de vários encontros e desencontros amorosos,  e fiz uma sobremesa ideal para ser comida depois de um delicioso almoço  alfresco, numa longa tarde de Verão,  de preferência acompanhada de amigos e família.

Ingredientes:

  • 4 gemas
  • 120 gramas de açúcar
  • 2,5 dl de leite
  • 2,5 dl de natas
  • 0,5 dl de Marsala
  • Sumo e raspa de 1 lima
  • 150 gramas de mirtilos adoçados a gosto

Preparação:

Batam as gemas e o açúcar até obterem um creme espesso. Aos poucos acrescentem à mistura o leite escaldado com as raspas da lima. Levem ao lume mexendo sempre até engrossar. Passem a mistura por um passador de rede fina, juntem o vinho e levem ao frigorífico. Quando o creme estiver frio misturem as natas batidas em chantilly e levem ao congelador ou sorveteira, até o gelado estar quase no ponto desejado. Nessa altura juntem os mirtilos adoçados e o sumo da lima. Misturem levemente criando um efeito marmoreado e guardem no congelador até servir.

Some years ago my parents bought a  really old rural house in Algarve, and in reality all the work, the mice, the spiders, (thank God we didn’t have snakes!), isn’t as glamorous as the movie tries to show it, trust me!
The best part of the day used to be eating alfresco, with my family while we planned what to do next. Watching this movie, made me remember those summers of hard work  and simple delicious food. I was inspired by the garden scenes and the idea of sharing a meal with your friends and family.
I prepared Zabaglione Gelato with lime and blueberries, a summer light and fresh dessert.

Daring Bakers Maio 2011 – Marquise de Chocolate

O post contem as receitas: Marquise de Chocolate e Caramelo com Irish Coffee.

Este mês fomos convidados pela Emma do blogue CookCraftGrow  e pela Jenny do blogue Purple House Dirt, a preparar uma receita de Marquise de Chocolate acompanhada de merengue, caramelo de tequilla e amêndoas caramelizadas. Podem ver o desafio original e as criações dos outros Daring Bakers aqui. Marquise é uma sobremesa francesa requintada e realmente deliciosa, que hoje em dia caiu um pouco no esquecimento. Embora a lista de ingredientes e preparações pareça um pouco complexa, é na  verdade muito fácil de fazer, eu garanto os resultados.
 

A minha versão é um pouco diferente da proposta  pela Emma e pela Jenny. Em vez de tequilla usei whisky, não fiz o merengue, preparei o caramelo aromatizado com Irish coffee, e servi a Marquise numa bolachinha de praline salgado com amêndoas. (Farei um post com esta receita brevemente) Usei ¼ da receita original, seguindo as indicações do nosso genial Audax Artifex, a quantidade é suficiente para 6 pessoas. (Como forma utilizei uma caixa de gelado da Olá :))

As várias receitas podem ser servidas individualmente ou em outras sobremesas.

 A marquise:

Esta receita contem dois elementos: a base de chocolate + a base de ovos

Ingredientes:

Base de Chocolate:

  • 85 gramas de chocolate amargo
  • 90 ml de natas
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de pimenta Caiena
  • 1 pitada de pimenta acabada de moer
  • 2 colheres de sopa de whisky
  • 1 colher de sopa de xarope dourado
  • 1 colher de sopa de cacau em pó
  • ½ colher de sopa de manteiga

 Preparação:

Misturem todos os ingredientes e derretam-nos em banho Maria, até terem um creme macio. Reservem fora do frigorífico enquanto preparam a base de ovos.

Base de ovos:

  • 3 gemas
  • 1ovo
  • 40 gramas de açúcar
  • 1 colher de sopa de ágau
  • Base de chocolate
  • 120 ml de natas
  • Cacau em pó para polvilhar (facultativo)

Preparação:

Batam as gemas com o ovo com a batedeira até a mistura estar espessa e esbranquiçada. Quando os ovos estiverem quase no ponto desejado, coloquem a água e o açúcar num tachinho e levem ao lume até atingir ponto de rebuçado mole (115ºC). Com a batedeira em baixa velocidade deitem, sem parar de bater, o açúcar no creme de ovos. Voltem a aumentar a velocidade e batam a mistura até arrefecer completamente, o que demora uns dez minutos.

Batam as natas em Chantilly.

Quando a mistura de ovos e chocolate tiver arrefecido, misturem o chocolate, mexendo levemente para não perder muito ar e envolvam de seguida e cuidadosamente as natas.

 Deitem a mistura  numa caixa forrada com película aderente e levem ao congelador pelo menos durante 4 horas.

Para servir retirem a marquise do congelador, cortem-na em cubos e se desejarem, envolvam-nos em cacau em pó.

Acompanhem com chantilly, e caramelo de Irish Coffee.

 Caramelo de Irish Coffee

Ingredientes: (para aproximadamente 2 dl de caramelo que podem gaurdar no frigorífico e usar noutras sobremesas ou a acompanhar gelado)

  • 90 gramas de açúcar
  • 0,5 dl de agua
  • 1 dl de natas
  • 1 pitada de sal
  • 2 colheres de café solúvel
  • 2 colheres de sopa de whisky

Preparação:

Num tachinho levem ao lume o açúcar e a água, até o açúcar caramelizar e criar um tom dourado.

Retirem o tacho do calor e rapidamente juntem as natas e batam a mistura. Levem novamente o tacho a lume brando. Atenção que o caramelo vai borbulhar, por isso, e dependendo do tamanho do tacho, podem ter de acrescentar as natas por duas vezes. Continuem a misturar, o caramelo vai ficar duro, não se preocupem, basta ir mexendo até derreter. Quando o caramelo estiver no ponto e tom que gostam, retirem do lume, juntem o café dissolvido no whisky e guardem no frigorífico até servir.

 

 

BBB&B – Em Maio chegam os piqueniques – Stromboli

Bread Baking Babes and buddies 

Há já algum tempo que andava com vontade de fazer Stromboli, e quando este mês recebi da Heather o convite para me juntar aos Buddies das Bread Baking Babes, aproveitei a oportunidade e desculpa para me deliciar com este pão italiano, ideal para piqueniques e dias passados à beira mar.

A receita foi proposta pela Elle do blogue Feeding My Enthusiasms, segundo a adaptação feita pela Girlichef do livro Ultimate Bread by Eric Treuille & Ursula Ferrigno . (Post original da Girlichef )

Ingredientes:
7 gramas de fermento de padeiro em pó ou 14 gramas de fermento de padeiro fresco
270 gramas de água (1 ¼ cup)
470 gramas de farinha
2 colheres de chá de sal
3 colheres de sopa de azeite

1 colher de sopa de orégãos ou rosmaninho seco (facultativo)

Recheio: (esta é a proposta original podem variar os ingredientes a vosso gosto)

  • 220 gramas de queijo fumado suíço ( mozzarella, parmesão, ou até o queijo da ilha são boas alternativas)
    3 dentes de alhos picados (substitui por algumas azeitonas)
  • 220 gramas de presunto,   ou salame, fiambre, chouriço…
  • 1 pimento em tirinhas
    1 molhinho de manjericão fresco

Para decorar

sal e pimento a gosto

1 fio de azeite
1 colher de sobremesa de orégãos  ou rosmaninho

Preparação: (Com adaptações feitas por mim)

Numa tigela grande misturem o fermento, o sal, as ervas e a água, até o fermento estar dissolvido. A temperatura da água deve rondar os 37ºC, que é a temperatura do nosso corpo, se quando tocarem na água não a sentirem nem fria nem quente, está na temperatura ideal. (Atenção que se a água estiver muito quente, mata o fermento e a massa não cresce.)

Acrescentem a farinha e amassem até a massa se tornar elástica e despegar das vossas mãos. (10 minutos) Coloquem a massa numa tigela levemente untada com azeite e deixem fermentar até duplicar de volume, o que demora, dependendo um pouco da temperatura da vossa cozinha, 1 a 2 horas.

Passado este tempo, voltem a amassar a massa, que vai perder um pouco o seu volume, não se preocupem. Com a massa formem um rectângulo de 35×45 cm, deixem descansar por mais 10 minutos.

Aqueçam o forno a 200ºC.

Cubram a massa com os vossos recheios, e enrolem-na cuidadosamente. Coloquem o stromboli num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal. Piquem-no ligeiramente com um garfo, e salpiquem-no com o sal, a pimenta, um fio de azeite e as ervas secas.

Cozam durante aproximadamente 45 minutos ou até o pão estar cozido.

Prinsesstårta – O bolo de anivesário sueco

E chegou o dia do meu aniversário, como este ano decidi festejar este dia também com os amigos da Padaria, partilho convosco o bolo de aniversário tradicional na Suécia e com o qual o viking e eu nos andamos a deliciar. Antes da receita os meus agradecimentos a todos os amigos que decidiram de forma especial festejar os meus anos participando no passatempo Um bolo especial.

Algumas dúvidas que entretanto me chegaram via e-mail:

  • Podem participar usando receitas já anteriormente publicadas nos vossos blogues. Basta que criem um post novo, com o tema do passatempo, expliquem por que motivo este é um bolo especial, e indicando, se assim o desejarem o link para o post contendo a receita.
  • Cupcakes ou outro tipo de bolos e bolinhos são permitidos, desde que respeitem o conteúdo e objectivos do passatempo.

O Bolo Princesa foi originalmente publicado por Jenny Åkerström, no livro do qual já várias vezes vos falei “Prinsessornas Kokbok”(1936), com o nome de “Bolo Verde”, mas reza a lenda que era um dos favoritos das princesas Märtha, Margaretha e Astrid, pelo que passou a ser chamado apenas de Bolo Princesa.

Existem várias versões deste bolo que no fundo é um pão-de-ló recheado com natas e creme de pasteleiro, coberto com uma placa de maçapão verde e decorado com uma flor também de maçapão. Se ao recheio acrescentarmos doce de morango ou lingon,  e usarmos maçapão cor de rosa para a cobertura, o bolo passa a chamar-se Operatårta. Às versões cobertas com maçapão azul  ou amarelo chama-se Bolo Príncipe e Bolo Carl-Gustav. Em casa da minha cunhada, a tradição é um bolo coberto de verde mas com doce de morangos, e honestamente é a versão de que gosto mais.

Algumas notas sobre a receita:

  •  - na Suécia vende-se já pronta uma folha de maçapão verde preparada ao tamanho dos bolos que fazemos em casa. Podem preparar o vosso maçapão em casa, ou comprá-lo já feito acrescentando-lhe apenas umas gotas de corante verde, antes de o estender com um rolo da massa entre duas folhas de papel vegetal.
  • - se não gostam de maçapão podem substituí-lo por uma cobertura de sugarpaste/massa americana.
  • - as quantidades que indico são o suficiente para uma forma redonda com 24cm de diâmetro,  sendo o bolo depois de pronto cortado em 3 fatias horizontais. Se estão a preparar um bolinho mais pequeno, dividir o bolo apenas em duas partes.

Ingredientes: (receita adaptada do livro Sju Sorters kakor)

Para o bolo:

  • 5 ovos
  • 180 gramas de açúcar
  • 65 gramas de farinha de trigo
  • 65 gramas de fécula de batata
  • 2 colheres de chá de fermento em pó

Recheio:

  • 4 folhas de gelatina
  • 2 dl de creme de pasteleiro (receita aqui), ou creme de baunilha comprado já  preparado
  • 3 dl de natas
  • 1 colher de sopa de icing sugar
  • Doce de morangos ou lingon (facultativo)

Cobertura:

  • 1 folha de maçapão verde ou 300 gramas de maçapão com umas gotas de corante verde
  • Icing sugar
  • 1 rosa ou (cravo) de açúcar ou maçapão vermelha ou cor-de-rosa.

Preparação:

O bolo:

Aqueçam o forno a 175ºC. Barrem a forma.

Batam os ovos com o açúcar até o creme duplicar de volume e estar branco e espesso. Misturem as farinhas e o fermento em pó. Deitem o preparado na forma e levem ao forno durante aproximadamente 40 minutos. Depois de frio, desenformem o bolo e cortem-no em 3 fatias horizontais. Cortem a fatia superior o mais finamente possível.

O recheio:

Preparem o creme de pasteleiro, deixem-no arrefecer um pouco e misturem as folhas de gelatina previamente demolhadas em água fria. Quando começar a solidificar envolvam no creme as natas batidas em chantilly com uma colher de icing sugar, reservem no frigorífico até montarem o bolo.

Montagem:

Como já disse há várias formas de se montar um Bolo Princesa. Podem rechear cada camada com um pouco de doce de morango e o creme de natas, cobrindo todo o bolo com a placa de maçapão.

Alternativamente, montem o bolo de forma a lhe dar o formato de uma meia esfera. Para isso comecem por colocar directamente no prato de servir uma fatia de bolo. Barrem-na com doce, e cubram com a segunda fatia de bolo. Por cima espalhem 2/3  do creme, de forma a que o centro do bolo fique mais alto do que as extremidades. Cuidadosamente coloquem a última fatia de bolo, dando-lhe uma forma arredonda. Cubram a totalidade do bolo com o restante creme.  Estendam o maçapão e cubram com ele o bolo, com um cortador de pizzas aparem o excesso junto ao prato. Decorem com uma flor e guardem no frigorífico, polvilhem com icing sugar antes de servir.