Archive for June, 2011

June 29, 2011

BBD – 4 anos e uma viagem a Itália.

by ana
O Bread Baking Day,uma criação da Zorra do blogue  Kochtopf decorre este mês em casa  Da Connie e do Peter, um casal de holandeses a viver na Tailândia. Como  tema  a Connie escolheu Bread with local herbs and/or spices, Pão com ervas aromáticas ou especiarias locais, numa homenagem ao primeiro BBD, cujo tema foi herbs, ervas aromáticas.
Para participar usei,   não uma erva aromática típica da Suécia, onde o endro e o cebolinho são reis, mas  uma das minhas ervas aromáticas favoritas – manjericão, que nesta altura cresce e cresce em vasinhos na minha cozinha.
 
 
 
A minha inspiração foi a tradicional e simples pizza Margherita, e partindo dos seus ingredientes principais fiz uma “Focaccia Margherita”, que acompanhada de queijo mozzarella e grandes copos de Martini e Campari saboreamos numa quente tarde de sábado.
 

Se é a primeira vez que fazem focaccia aqui podem ver outra receita,  passo-a-passo, com péssimas fotografias,  que fiz há um ano.

 

Focaccia Margherita

Ingredientes:

  • 3 dl de água morna
  • 2 colheres de chá de fermento de padeiro seco
  • 1 colher de sopa de mel
  • 2 colheres de sopa + 4 colheres de sopa de azeite
  • 400 gramas (aproximadamente) de farinha de trigo
  • 2 colheres de chá de sal
  • 1 colher de sopa de manjericão seco
  • Tomate cereja a gosto

Para acompanhar:

Mozzarella, manjericão fresco, um fio de azeite. (As bebidas deixo ao vosso critério, mas um aperitivo gelado é vivamente aconselhável!)

Preparação:

Misturem a água, o fermento, o manjericão seco, o sal, o mel e   2 colheres de azeite numa tigela. Quando o fermento estiver dissolvido misturem a farinha e trabalhem a massa durante alguns minutos. Atenção que de acordo com o tipo ou mesmo marca de farinha que estão a usar, podem precisar de menos ou mais quantidade, aconselho-vos por isso a juntar a farinha por várias vezes. A massa está pronta quando se despegar das vossas mãos,  e estiver leve e elástica.

Deixem a massa repousar durante 45 minutos ou até duplicar de volume.

Passado este tempo aqueçam o forno a 200ºC. Espalhem a massa num tabuleiro com 30 x 40 cm previamente untado com 2 colheres do restante azeite.

Decorem com os tomatinhos, eu uso tomates congelados porque acho que de certa forma se desmancham menos no forno, salpiquem se desejarem com um pouco mais de sal, o restante azeite e levem a cozer durante aproximadamente 25 a 30 minutos.

June 27, 2011

Abram alas… para o que provavelmente é o melhor gelado do mundo.

by ana

Salted Butter Caramel Ice Cream  de David Lebovitz – sem alterações nem adendas a uma receita perfeita.

Sem introduções, não vos quero roubar tempo que podem utilizar na preparação deste gelado.
 
 
 
 

Ingredientes  (1 litro de gelado)

Para o caramelo:

  • 100 gramas de açúcar
  • 1 colher de chá de flor de sal ou outro sal de excelente qualidade

Para o gelado:

  • 5dl de leite, nada de leite magro, por favor!
  • 300 gramas de açúcar
  • 60 gramas de manteiga
  • ½ colher de chá de sal
  • 2,5 dl de natas, natas, não é líquido com aspecto suspeito e 2% de gordura.
  • 5 gemas

 Preparação:

Começamos com praline de caramelo, que não é mais do que um caramelo seco, feito sem  água. Se têm pouca prática com este tipo de caramelo, notem que escurece muito mais rapidamente o que exige uma maior atenção à sua preparação.

Espalhem  o açúcar num tacho de fundo grosso e levem ao lume. Entretanto forrem um tabuleiro com o vosso tapete de silicone ou uma folha de papel vegetal untada com óleo. Preparem o sal.

Quando notarem que o açúcar começa a derreter, mexam-no levemente, empurrando-o para o centro com uma colher de pau, até que tudo esteja derretido. Assim que aparecer fumo no tacho, e vos parecer que o açúcar está quase a queimar, deitem-no sobre o tabuleiro. O mais rapidamente possível, salpiquem-no com sal e levantem o tabuleiro de modo a que o caramelo se espalhe por uma área maior. Reservem.

Para o gelado.

Como esta receita exige que se trabalhe muito rapidamente é importante que preparemos um pequeno mise-en-scène:

  1. Preparem um banho gelado enchendo uma tigela com gelo, dentro coloquem outra tigela com 2,5 dl de leite. Por cima da segunda tigela ponham um passador de rede fina.
  2. Coloquem o restante leite e as natas em dois copos
  3. Preparem o sal e a manteiga
  4. Batam ligeiramente as gemas                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     

Coloquem o açúcar num tacho e levem ao  lume até caramelizar usando o mesmo método que utilizámos para o praline.  

Retirem do lume e adicionem a manteiga e o sal, e mexam. É possível que aparecem alguns “torrões” de caramelo, não se preocupem. Levem novamente a mistura a lume brando, mexendo até que os “torrões” derretam.

Misturem no caramelo o leite que têm no copo, e depois as natas. Deitem metade do preparado aos poucos sobre as gemas, batam bem, voltem a colocar tudo no tacho e levem ao lume, sem parar de mexer até este creme “custard” engrossar.

Passem  o creme pelo passador para a tigela onde está o restante leite, e misturem bem. Eu bato preparado com um batedor de varas para ajudar o creme a arrefecer. Coloquem a mistura numa tigela bem fechada e guardem no frigorífico até estar completamente fria, o que pode demorar até oito horas.

Passado este tempo, preparem o gelado usando a vossa sorveteira, ou colocando-o no congelador, e batendo a mistura de vez em quando evitando a formação de grandes cristais de gelo, o que honestamente, e tendo em consideração a riqueza desta receita, é pouco provável que aconteça.

Quando o gelado estiver quase pronto, misturem o praline salgado em pedacinhos e voltem a colocar no congelador até servir. Se resistirem a esperar algumas horas, verão que o praline vai derretendo e criando bolsinhas de caramelo cremoso com um toque final de sal.  Irresistível e absolutamente viciante.

June 22, 2011

O lanche está servido…. e com uma convidada de última hora!

by ana
E aqui está minhas queridas amigas, o lanche que em conjunto  preparámos para celebrar o meu aniversário.  Escolher o melhor bolo, ou a convidada mais distinta é impossível, mas é com honra que vos recebo a todas em minha casa. Sentem-se que o chá já está a abrir.

1-  A Mané foi a primeira a chegar, trouxe para a festa o seu bolo especial O Bolo da Tia Rosa, um lindo ramo de flores, e  fotografias da Escandinávia!!

2- A Heather - Girlichef – preparou uns cupcakes que deixaram o meu viking logo de orelha levantada, mal sabia ele o que ainda estava para vir, Root Beer Cupcakes, que chegaram ainda deliciosos dos EUA .

 

3-  A minha Tia,    que como sabem nos faz sempre os mais maravilhosos bolos, participou com  um bolo especial que lhe foi oferecido por uma aluna. Podem ler a história deste bolo aqui.   

4- Directamente do Porto veio a nossa queijeira-mor, a Conceição, com um maravilhoso Käsekuchen, uma recordação da sua infância que certamente nos vai encantar a todas.

 

5-A Moira escolheu um bolo retirado há anos de um blog norueguês – Bolo de Frutos Secos com Natas e Pêssegos em Calda – acompanhado por um texto inspirador, uma prova  de que as descobertas, encontros,  e  amizades, ainda que virtuais, não têm fronteiras.

6- A Léia, uma  linda brasileira a viver em Itália,  trouxe Financiers de chocolate e Frutos Silvestres. E parece que leu os meus pensamentos, ou não fosse ela psicóloga, pois no dia em que me enviou a receita, tinha eu publicado na Padaria outra versão de Financiers de chocolate. 

7- Um bolo de café do Mississipi, veio com a Laranjinha que trouxe também mais um livro que tenho de ler brevemente e que a inspirou a procurar esta receita. Para mim, que adoro café, e como vos digo muitas vezes, desde criança vivo fascinada com a ideia do “café com cheirinho”,  não podia haver bolo melhor.

 

8 – Dos Açores a Picarota, trouxe um delicioso Bolo de Chocolate e Café, decorado com uma linda fita, mesmo ao meu estilo, um bolo capaz de adoçar Lady Everglot .

9 -  A Isabel que este mês também está em festa com o quarto aniversário do seu blog,  trouxe para o lanche  Bolo de coco com leite condensado que decorou com uns moraguinhos, imagino a delicia.

10 – A Sofia  veio  especialmente para o nosso encontro do seu Reino da Prússia, com um bolo e um livro que já encomendei.Bolo de chocolate à la Irvine Welsh para dois aniversários, a sério, pode haver melhor?? Ah! E é mais um bolo con chocolate, café e…. vinho do Porto, só para adultos,  pois claro :)

11- Por último chegou a Suzana e trouxe  embrulhado em palavras de amor e felicidade bolo de limão e mirtilos, uma ode aos momentos de cumplicidade  e de alegria que nos enchem os dias.

12! -   The last but not the least -  E depois de uns problemas no caminho, chegou a Sofia, que  nos conta ser a minha tia da famíla dela e ter lugar cativo de boleira-mor. Trouxe um dos primeiros bolos de aniversário que fez, Bolo de Laranja. Temos artista!!

Onze, perdão, doze convidadas, eu sirvo o chá, partilham-se os bolos e as histórias, abrem-se livros, mostram-se fotografias antigas de visitas à Escandinávia. Há flores na mesa, fala-se de Kafka e de Tim Burton, de viagens e  filmes, cheira a café, a chocolate, limão, mirtilo, recordo o meu avô a pedir um café com um “cheirinho”. 

Sonhamos já com mais encontros que não sejam virtuais, outros bolos especiais, outros lugares, antes de me sentar vou buscar outra cadeira,  fica à espera das amigas que não puderam participar, mas que são sempre bem-vindas.

Para o ano há mais.

E…..
 

A Laranjinha e a Picarota vão receber uma pequena lembrança da Padaria, assim que me enviarem as vossas moradas.

Mais uma vez obrigada a todas por terem participado.

June 20, 2011

Mais um pitéu para a cestinha – Atum em frasco

by ana

Uma pequena encantadora e “inocente” engolida por um lobo, é uma imagem que fica indelevelmente gravada no nosso espírito.  – Bruno Bettelheim – The uses of Enchantment/ A Psicanálise dos Contos de Fadas.

 A Belinha festeja este mês o quarto aniversário do seu blogue, e para me juntar a esta data aqui fica a minha participação. Um frasco de pasta de atum, uma receita que não falta nas reuniões da minha família, e que certamente a mãe do Capuchinho Vermelho colocou na cestinha.

 

Habitualmente usamos esta pasta para rechear uma baguete que depois de gelada se serve cortada em fatias muito fininhas, mas achei que para esta ocasião seria mais apropriado transportar a pasta num frasquinho que a avó pode guardar no frigorífico.

A preparação e ingredientes é extremamente simples, o que nos deixa com mais tempo para nos sentarmos no bosque, a colher flores ou ler a Psicanálise dos Contos de Fadas, uma obra que de certo muitos de vocês conhecem, e reinterpreta  os símbolos, valores e ensinamentos presentes nas histórias com as quais crescemos.

Ingredientes: (com alterações em relação ao original do caderninho de receitas da família)

 - 125 gramas de manteiga

- 50 gramas de azeitonas recheadas

- o ovo cozido picado

- 2 latas de atum

-sumo e raspa de uma lima

Preparação:

Misturem a manteiga com o atum escorrido, as azeitonas picadas e o ovo. Temperem com o sumo e raspa da lima e guardem no frigorífico até servir.