Marido de blogger sofre…. Bolo de maçã e whisky

Não há marido como o meu viking, não há.
Sem o meu viking nunca teria tido a coragem de, quase aos quarenta anos, decidir mudar de carreira e inscrever-me num curso de culinária. Não há plano, ideia ou proposta que o meu viking não apoie, não há ingrediente ou receita, por mais estranha que pareça, que a minha cobaia mor não prove de bom grado.
 Desde que comecei a viver na minha cozinha, apenas por duas vezes o vi a traçar a linha entre a minha vontade e o bom senso. A primeira foi quando eu andava a pesquisar como poderia comprar um depósito de Nitrogénio líquido, adivinhem porquê. A segunda quando lhe ataquei o armário das garrafas de whisky.
Resolvi a primeira questão continuando a usar o congelador e a sorveteira para fazer gelados, e para cozinhar o meu viking, que tão apaixonado por whisky até comprou um com o nome dele, trouxe-me uma garrafinha desta bebida com a indicação “olha bem para ela, é esta a que tem o Grouse que vais usar, só esta!”
 
 

E foi graças ao meu Famous Grouse, que pude revisitar, com algumas alterações, um bolo do qual há uns meses fiz uma versão com peras e que adorámos cá em casa. A receita original é de Mark Bittman, um bolo rico, ensopadinho em whisky, quase com a textura do savarin, que se faz no processador de alimentos em minutos.

Ingredientes:

  • 350 gramas de maçãs  limpas e descascadas partidas em cubinhos
  •  300 gramas de farinha
  • 3 ovos
  •  100 gramas de manteiga
  • 120 gramas de açúcar
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 pitada de pimenta preta moida
  • 1 pitada de noz-moscada
  • 1 pitada de sal

Para a calda

  • 1 dl de whisky ( um pouco mais se gostarem do sabor)
  • 25 gramas de manteiga
  • 100 gramas de açúcar

Preparação:

Coloquem as maçãs  e o açúcar no processador de alimentos e batam bem. Juntem os ovos um a um e a manteiga fria cortada em cubos. A massa vai parecer talhada, não se preocupem.

Misturem a farinha o sal, as especiarias e o fermento em pó sem bater. (Eu desligo o processador, retiro a lâmina e misturo a farinha na tigela do processador, mas usando uma colher de pau.)

Se não têm processador de alimentos, usem a varinha mágica para desfazer as maçãs e podem bater o resto do bolo à mão.

Deitem o preparado numa tigela de ir ao forno, e cozam a 175ºC por aproximadamente 40 minutos. (Alternativamente podem usar ramekins)

Retirem o bolo do forno. Num tacho derretam a manteiga juntamente com o whisky e o açúcar. Deitem a mistura sobre o bolo e deixem ensopar bem antes de servir.

About these ads

18 comments

  1. Olá, Ana!
    Cheguei ao seu blog através da Moira. E que boa indicação!
    Seu viking é tal e qual ao meu setubalense! A única diferença é que ele não se importa que eu abuse das suas bebidas!!!
    Adorei todo o seu blog e a sua receita deste post!
    Passarei por aqui sempre!
    Um abraço,
    :)

  2. Também tenho um viking parecido, mas as cobaias têm sido outras. Também gostava de fazer um curso desses, sempre quis saber porque são 100gr e não 300, ou porque 5 e não 6 ovos. O jogo matemático das proporções na cozinha fascina-me mas aprendê-lo custa perto de 3000€. Assim que tiver mais tempo respondo.

  3. Ana,

    Se perguntares ao meu marido ele vai concordar contigo , ou seja , marido de blogger sofre.
    Cá por casa a queixa é a seguinte : só fazes isto uma vez , ou então podias fazer determinada receita e quando dá conta fiz uma parecida, ehehhe, bjs

  4. Ana, este bolo esta super bonito e me parece muito saboroso…gosto da calda de whiskey e com certeza irei usar mais :-)
    Tenha uma otima semana tambem!

  5. Olá Ana, graças a Deus que ainda existem bons Vikings :)))
    esse bolo está divino, levo a receita,
    beijinho grande à mulher do Viking.

  6. Sua receita ficou muito bonita, com certeza deliciosa.
    O meu viking tambem eh assim como o seu, me apoia, bom pra gente. Somos mulheres de sorte, merecemos.
    Beijo

  7. O curso de culinária é algo do passado ou algo que vai acontecer num futuro próximo? Também estou nesse caminho pois em Novembro vou também começar um curso de culinária ;)

      1. A sério? Não sabia. Sei que a “melhor” aqui é a Grythytta fora de Örebro. O problema é que entram 12 pessoas por ano…. não sabia que a Komuvx também era assim. Estás a pensar mesmo mudar de carreira ou é só pela experiência? Eu vou para Paris em Novembro para estudar na Le Cordon Bleu e volto no final do ano (intensivo). Por agora é muita incerteza, se devo mudar ou não… mas podemos comtinuar a discussão por mail ;)

      2. A minha questäo é um curso que seja reconhecido profissionalmente aqui, por isso optei pelo komvux, não sei se haverá outras opções. No curso entram 15 pessoas, e boas notas não é critério, eu tinha MVG e Svenska2B eles pediam apenas Grund… Envio-te um e-mail com detalhes brevemente. :)

  8. Minha primeira visita ao seu blog, e confesso que parei nessa receita, li, duas vezes, salivei, e pensei “isso deve ser bom d+”. Estou com falta de ovos em minha geladeira…rs Mas com certeza dentro em breve testarei sua receita que me parece muito boa.

    E nem preciso falar que adorei seu blog e voltarei mais vezes né?!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s