Bread Baking Day #46 – Pães de um país que gostassem de visitar

Pitas com sourdough e Baba Ghannoug com pimentos vermelhos

O BBD decorre este mês em casa da Noor e tem como tema: Pães de um país que gostassem de visitar. Admito que tive alguma dificuldade em escolher um destino para esta minha viagem no mundo dos pães. Há tantos países que ainda quero visitar, tantas culturas, terras e monumentos por conhecer, tantos ingredientes e pratos novos ainda por provar. Após alguma hesitação, e com a ajuda do viking, acabei por escolher o Egipto, em especial Luxor, como o meu destino de sonho, que este mês é também o local que visito gastronomicamente.

 

Pão, produzido a partir de vários cereais, e cerveja eram os alimentos principais no Antigo Egipto e pensa-se que foi também esta civilização que começou a fazer pão levedado com a ajuda de sourdough. Se querem saber mais sobre este tema, podem ler por exemplo artigo  - Bread in Ancient Egypt de Jane Howard.

Já imaginam que não ia perder esta oportunidade de dar uso ao meu starter e voltar a preparar uma receita usando sourdough. Esta foi a primeira vez que fiz pitas, e correu maravilhosamente, é um prazer ver os pães a crescer como balões de ar no forno, e comê-los ainda quentinhos, usados como colher para o Baba Ghannoug ou  recheados  com queijo e legumes grelhados.  Depois de levedada, a massa estende-se  e os pãezinhos cozem em minutos, é apenas o tempo suficiente para tirar uma cervejas dos frigorífico e escolher um filme de aventuras cheio de heróis destemidos, múmias, mistérios e maldições.

Podem ver a receita que me serviu de inspiração no Wild Yeast.

Pitas com sourdough

Ingredientes: (8 a 12 pitas)

  • 375 gramas de sourdough  pronto a ser usado (vejam a minha receita aqui)
  • 120 gramas de farinha de trigo especial para pão
  • 70 gramas de farinha de trigo integral
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 pitada de cominhos em pó
  • 55 ml de água (pode variar um pouco)

Preparação:

Podem amassar o pão à mão ou usando a vossa batedeira com as pás – “gancho”, foi o que eu fiz desta vez.

Na tigela da batedeira coloquem todos os ingredientes, amassem a baixa velocidade, até obterem um massa macia, mas ainda húmida. (aproximadamente 5 minutos) A massa deve colar e descolar-se dos vossos dedos e das pás da batedeira, de forma elástica. (Podem ter de acrescentar um pouco mais de água ou farinha, mas muita atenção para não deixarem a massa secar demasiado.

Passem a massa para outra tigela untada muito levemente com azeite e deixem levedar durante duas horas ou até duplicar de volume. (Aqui em casa a uma temperatura de 26ºC, demorou 3 horas.)

Aqueçam o forno a 220ºC. (Se tiverem pode também usar a pedra para assar pizzas)

 

Dividam  a massa em tantas partes quantas pitas quiserem fazer. (Eu gosto de pitas do tamanho da minha mão e com esta receita fiz 12.)

Formem bolinhas com a massa e estendam-nas, tão finamente com desejarem, sobre uma superfície enfarinhada.

Levem as pitas ao forno, na pedra ou tabuleiro forrado com papel vegetal. Não sobreponham as pitas, cada fornada faz apenas as que couberem no tabuleiro. O tempo de cozedura é 2 a 3 minutos, as pitas estão prontas quando tiverem crescido e ganhado uma levezinha cor dourada.

Reservem as pitas embrulhadas num pano até servir.

Baba Ghannoug com pimentos vermelhos

Ingredientes: (2 tigelinhas como as da imagem)

  • 1 beringela grande
  • Sumo e raspa da casca de meio limão
  • 1 pimento vermelho
  • 2 colheres de sopa de iogurte grego ou turco (usei iogurte turco 10% de gordura)
  • Salsa ou outra erva aromática
  • 1 dente de alho esmagado (como ia estragar a minha tarde romântica no sofá a ver filmes, optei por não usar alho desta vez, mas recomendo.)
  • Sal e pimenta a gosto
  • 1 colher de sopa de azeite

Preparação:

Cortem a beringela ao meio,  e levem-na a assar juntamente com o pimento, no forno a 200ºC durante aproximadamente 40 minutos.

Com cuidado para não se queimarem, pelem a beringela e  o  pimento. Coloquem todos os ingredientes no vosso processador de alimentos  e triturem até conseguirem uma consistência cremosa. Rectifiquem os temperos. Guardem no frigorífico até servir. (Se não tiverem um processador de alimentos, podem usar a varinha mágica.)

About these ads

16 comments

  1. É tão bom pão pita. Que delicia de sugestão. Ando há um tempão para fazer. Já tenho a receita marcada para fazer e ainda não pus mãos à obra. Esta tua versão com o sourdough deve ficar bem saborosa.

  2. Ana, toda a vez que cá venho aprendo alguma coisa. Tanto o pão pita como o molho tem muito que se lhe diga. O pão pita já ando entusiasmada para fazer já algum tempo, mas o medo de errar e o tempo de espera da massa tem-me feito amedrontar. Vamos ver se agora fico mais inspirada :)
    Com uma ementa dessas dá mesmo para ter um serão romantico ;)

    Beijinhhos

  3. Querida Ana, agora fiquei com saudades… a minha lua de mel foi no Egipto, mais propriamente em Luxor :D Já foi há quase 8 anos e engraçado, nem dei pelo passar do tempo!
    Adoro esse pão, é simplesmente delicioso!!
    Bjinhos e boa semana!

    1. Vera,
      Eu tb estive qs qs a ir de lua de mel ao Egipto, mas na altura (n foi a lua de mel com o meu viking), havia imensos ataques a turistas, e eu admito que tive medo. Agora é uma das viagens que temos planeadas, mas é complicado, somos mt independentes e n gostamos de férias em grupo, mas no Egipto n me arrisco a andar sozinha e sem guias.

      bjs

  4. Pão pita é maravilhoso e baba também. Sempre que venho cá apaixono-me por uma receita, sonho em fazê-la e quase que viajo até outras paragens. Obrigado por isso, E pelos posts sempre tão dedicados. Uma sugestão deliciosa. Esse baba está perfeito :)
    Um beijinho.

  5. Oh, sou tão desleixada.. Nunca me lembro de participar n bbd! É um tema interessante este, acredito que a escolha não foi fácil!
    Agora a tua ideia de fazer pita com sourdough, é genial! Já está na minha lista!
    Bem haja pelos teus magnificos posts! :)
    Boa semana***

    1. Eu até coro com as coisas que me dizes rapariga!!
      A receita original está no Wildyeast, e é mais complicada, mas acho que a minha tb ficou bastante bem.

      bjs

  6. NO MEU LIVRO DE PÃO TENHO UMA RECEITA DESSAS MARCADA MAS NUNCA FIZ.
    AGORA AO VER O TEU TÃO PERFEITO, FIQUEI COM IMENSA VONTADE.
    UMA EXCELENTE SEMANA
    BJS

  7. És a minha salvadora…não imaginas há quanto tempo procuro uma receita “decente” de pita… Assim que poder vou experimentar a tua. Pois costumo fazer pita shoarma e tenho sempre de comprar o pão (se gostares desta receita Israelita procura-a no meu blog).

    Beijinhos

    P.S: Obrigada pelo comentário no meu blog.

  8. Que idéia super bacana, Ana! Adorei! Seus pães ficaram maravilhosos! Realmente é uma emoção vê-los inflar no forno, e que delícia, poder degustá-los quentinhos. Adorei também a receita de Baba Ghannoug, que já foi pra minha lista! Parabéns pela criatividade!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s