À descoberta de antigos amores

Quando vivemos durante muito tempo longe do local onde crescemos, tornamo-nos aos poucos turistas na nossa terra. Há pessoas na televisão que não conhecemos, não percebemos metade das piadas e historietas que se contam e invariavelmente acabamos perdidos pelas ruas da nossa cidade.

Mas esta sensação de quase desenraizamento, tem também as suas vantagens. Tudo o que esquecemos, tudo o que durante anos nos foi demasiado próximo para que o pudéssemos notar,  se transforma  numa excitante e fantástica descoberta. Uma varanda de ferro forjado na rua por onde costumávamos passar todos os dias, as caixas de fruta à porta da mercearia, o design e cor das caixas de Nestum com mel.

Com a  comida a experiência é semelhante, e em cada prato esquecido há a redescoberta de uma infinidade de sabores e memórias que por instantes voltam a ganhar vida.

Numa das nossas últimas visitas a Portugal, deliciamo-nos com  o que para mim foi o reacender de uma velha chama, e para o viking  a descoberta de um novo amor: peixe frito e arroz de feijão. E embora no nosso dia-a-dia não tenhamos por hábito comer  fritos, para um almoço de fim-de-semana, comido sem pressa nem preocupações,  o sabor deste peixe bem temperado e estaladiço combinado com  o arroz acabado de fazer e ainda húmido e escorregadio, é um luxo de que não abdicamos.

Desta vez fiz usei feijão preto e chili fresco, mas outro dos nossos favoritos é o arroz de feijão vermelho com poejos que trago de Portugal. Como um dia não são dias, tempero bem os filetes e pano-os a sério, mas se não gostam ou não podem comer o peixe preparado desta forma, vejam esta opção super saudável e igualmente deliciosa.

Ingredientes (2/3 pessoas)

Peixe:

  • Filetes de peixe branco
  • 1 dente de alho picado
  • Sumo e raspa de 1 limão
  • Sal e pimenta
  • Chili fresco
  • Pão ralado
  • 1 ovo batido
  • Farinha
  • Óleo para fritar

Arroz:

  • Uma cebola pequena picada
  • 1 fio de azeite
  • 1 dl de arroz
  • 2 dl de feijão preto cozido
  • Sal e pimenta
  • Chili fresco

Preparação:

Algum tempo antes de preparar a refeição, temperem os filetes com o alho, o limão, sal, pimenta e um pouco de chili e reservem.

Escorram bem os filetes, passem-nos por farinha, depois pelo ovo batido, e finalmente pelo pão ralado. Disponham os filetes prontos a fritar num prato, e prepararem entretanto o arroz.

Num tachinho amoleçam a cebola com o azeite e chili, cuidado para não queimar. Acrescentem o arroz e fritem até estar translucido. Juntem a água a ferver, temperem,  misturem o feijão. Tapem o tacho e cozinhem em lume baixo/médio durante 8 minutos.

Aqueçam numa frigideira um pouco de óleo, uma altura de um dedo é o suficiente. Não aqueçam demasiado o óleo, eu mantenho o lume médio. Com cuidado coloquem os filetes na frigideira, virando-os quando estiverem dourados. Depois de prontos, coloquem-nos num prato forrado com papel absorvente.

About these ads

15 comments

  1. Ana, sei bem do que falas. Apesar de o país ser o mesmo, sinto isso com a aldeia da minha onde eu praticamente passei toda a minha infância.
    Hoje dou por mim a apreciar os detalhes que por lá (re)descubro, a adorar as casas de pedra que na verdade sempre existiram e inclusivé a usurpar antiguidades da casa da minha avó que antes achava velharias e hoje acho preciosidades.
    E quanto a esse prato, confesso que também me faz as delícias :D Este fim-de-semana estive pelo Norte e fiz como tu, e porque um dia não são dias, refastelei-me com folar a sério, e umas belas alheiras fritas como elas pedem.

  2. É um facto, cá em casa não se comem fritos. A única garrafa de óleo que existe é para colocar em algumas receitas de bolos ou pão mas principalmente para untar formas de silicone quando as massas começam a pegar.
    Mas gostei da ideia dos filetes de peixe panados como os de carne: normalmente os restaurantes servem os filetes de peixe fritos que foram passados por ovo e farinha. Os meus pais contam sempre que a minha avó paterna fazia os melhores panados do mundo, que a “casquinha” nunca se partia :)

  3. Ana, também cá em casa não há o hábito dos fritos, mas sempre que me apetece faço-os e delicio-me sem preconceitos :) A última “asneira” que fiz foi fritar linguiça regional com inhame…humm e para acabar a desgraça um ovo estrelado ;) Cheia de vergonha nem publiquei, mas era merecedor disso porque é tradicional e bom :)
    Gostei imenso do peixinho frito, mas fiquei a babar com o tachinho de loiça :) Adoro ;)

    Beijinhos

  4. Adoro peixe frito, mas também não é um hábito cá por casa, embora me pareça que o grande pecado dos fritos está, a maioria das vezes, na qualidade (ou falta dela) dos óleos usados. Seja como for fritos são uma raridade, nem tenho fritadeira, por isso quando os faço é do modo tradicional o que significa cheiros e sujeira no fogão. Mas como as regras são feitas para se quebrarem, de vez em quando não resistimos a um carapau ou uma petinga com arroz de feijão ou de tomate. Uma verdadeira delicia. O teu peixinho está com um aspecto absolutamente delicioso. Por acaso hoje vamos jantar peixe, mas vai ser cozido :(
    Beijinhos

  5. aiiii peixe frito com arroz de feijão ( ou arroz malandrinho de tomate )
    hmmm adorei!
    Mesmo sem ter saído do país, dou por mim por vezes a descobrir certos pratos e sabores que desconhecia :) e basta sair da nossa região para outra para descobrirmos imensas iguarias típicas deliciosas :) um beijinho

  6. Também me sinto assim… A falta que Portugal me faz… A minha serra, as casas velhas de granito; as minhas árvores de fruto, e toda a abundancia de iguarias típicas…
    Bem lembro do peixinho frito com arroz de feija*o, nunca faltava lá em casa! Tenho de voltar a fazer um dia destes!
    Bejinho e tem um resto de boa semana*

  7. Ana,
    uma das comidas que mais gosto é ´peixinho frito (quer seja jaquinzinhos ou outro tipo) com um arrozinho malandro!
    Ai, sabe tão bem :)
    Quando estive fora do país, sentia tantas saudades de pequenas coisas da nossa comida tradicional portuguesa, por isso sei bem o que sentes.
    Não temos por hábito fazer fritos em casa, mas que sabe bem sabe, de vez em quando.
    Um beijinho.

  8. Ana, das duas vezes que estive fora de Portugal (e foi por pouco tempo) senti bem isso que descreves. Quando se volta parece tudo estranho, tudo novo. E fazem-nos falta as pequenas coisas, o que é a nossa tradição. Aqui por casa é raro entrarem fritos, mas se há peixinho frito, tem de ser acompanhado com um belo arroz de feijão. E esse teu peixinho tem cá um aspecto! As fotos estão lindas :)
    Beijinho

  9. MUITO RARAMENTE SE COMEM FRITOS AQUI EM CASA, MAS POR ACASO HOJE O JANTAR FORAM FILETES COM ARROZ DE FEIJÁO E NO ARROZ ESTAVA LÁ MEIO CHOURIÇO DE CEBOLA ,COISA QUE ADORO MAS QUE JÁ NÃO COMIA HÁ MUITO.
    MAS COMO SÓ É DE VEZ EM QUANDO NÃO FAZ MAL…
    GOSTEI DA TUA SUGESTÃO ESTA MESMO UMA DELICIA.
    BJS

  10. sim,sim,sim! arroz de feijão assim à malandrinho com filetes.tenho aqui uma caixinha de Nestum c Mel mas so posso comer uma vez por mes..q é p ver s dura um ano. ahah
    PS: tou a adorar o paozinho com o starter..fico mm orgulhosa :) tenho q tirar umas fotos para colocar no blog, stay tuned! ;)

  11. Ana, de facto os fritos não são para serem comidos em exagero, tal como qualquer outra comida ou modo de a fazer, deve ser comida com moderação. Mas que filetes com arroz de feijão é das minhas comidas favoritas ,lá isso é!
    Gostei imenso.
    Beijos
    Maria

  12. Olá Ana:)
    Esse é um dos meus clássicos preferidos de sempre, uns belos filetes panados! E com um arrozinho de feijão maravilhoso como esse, fazem uma refeição capaz de me deixar nas nuvens! Ai que saudades, tenho que fazer um dia destes!! E concordo, um dia não são dias e se comermos algo frito uma vez por outra também não há-de ser nada de grave…!
    Nunca passei por essa sensação de me sentir turista na minha própria cidade, embora por vezes dê comigo admirada a apreciar pormenores que nunca tinha notado antes, mas imagino que isso para ti seja como um redescobrir constante das memórias que tens, querendo absorver tudo o que podes e guardá-lo contigo até à próxima visita…
    E a comida é sempre uma excelente forma de reavivar e reviver recordações :)
    Um grande beijinho e claro que terei uma enorme honra por receber uma edição do teu brilhante desafio na minha cozinha, obrigada pela confiança! :D

  13. É um clássico que conta com a simpatia de todos( ou quase todos). Também evitamos os fritos, mas uma vez por outra, faz-nos bem recordar paladares vividos, capazes de nos transportar a sitios, e pessoas.
    Beijinho e bom fim de semana.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s