Archive for ‘vegetais e outros acompanhamentos’

May 18, 2012

Na marmita esta semana – Tagliata de legumes e salmão com hortelã

by ana

Por ser tão simples, estive indecisa sobre se havia ou não de publicar esta receita, mas depois das fotografias tiradas, não resisti a mostrar-vos esta refeição tão leve e onde os legumes, que se cozinham literalmente em segundos, fazem as vezes da pasta.

Para que a marmita continue bonita e saborosa depois de congelada e reaquecida, é importante que não cozinhem demasiado os legumes nem o salmão.

E  antes de vos desejar um bom fim-de-semana, lembro que a nova edição do Convidei para Jantar, organizada pela Carla, está já  a decorrer. Que convidados passarão por nossas casas este mês?

A receita… (tempo total de preparação: 20 minutos)

Ingredientes: (2 marmitas tamanho viking)

  • 2 lombos ou postas de salmão
  • 1 courgette
  • 1 pimento amarelo
  • 1 cenoura grande
  • 1 fio de azeite
  • Sal e pimenta
  • Hortelã ou outras erva aromática de que gostem.
  • Sumo de limão

Preparação:

Aqueçam o grelhador

Com o descascador de legumes, cortem a cenoura e a courgette em tirinhas finas. Limpem e cortem o pimento também em tirinhas.

Enquanto o salmão grelha, cozinhem numa frigideira anti-aderente os legumes.

Comecem por aquecer a frigideira e cozinhar o pimento num fio de azeite. Quando o pimento estiver tenrinho e o salmão já pronto, deitem na frigideira a courgette e a cenoura. Temperem com sal e pimenta, e assim que notarem que os legumes estão a amolecer, retirem-nos do lume. (Não os cozinhem demasiado porque perdem a forma e ficam sem graça nenhuma.

Sirvam temperado com azeite e sumo de limão, decorado com hortelã.

May 10, 2012

Convidei para jantar – Ridley Scott

by ana

… if only you could see what I’ve seen with your eyes!

A quarta-edição do Convidei para jantar está até dia 16 a decorrer em casa da Pami que nos desafiou a partilhar a nossa mesa com um realizador de cinema. Por favor respeitem o pedido da Pami e não usem carne nas vossas receitas.

A escolha aqui  foi difícil, a verdade é que somos um casal de movie nerds com uma enorme colecção de filmes em casa e nunca perdemos a estreia da mais recente obra dos nossos realizadores favoritos, os bilhetes para o Dark Shadows já  estão comprados.

Para jantar convidámos o realizador de dois dos nosso filmes favoritos: Alien e Blade Runner. A chegar está também Prometheus, será  Noomi Rapace depois a nova Ripley?…

Nestes filmes a  atmosfera  escura e claustrofóbica contrasta com momento de luz e imensa beleza: A fuga desesperada de Zhora, as palavras finais de Roy. I’ve seen things you people wouldn’t believe. Attack ships on fire off the shoulder of Orion. I’ve watched C-beams glitter in the dark near the Tannhauser Gate. All those moments will be lost in time, like tears in rain. Time to die.

Ripley  no cryotube,  uma Branca de Neve perdida no espaço, nos seus sonhos monstros que Giger ajudou a criar… Final report of the commercial starship Nostromo, third officer reporting. I should reach the frontier in about six weeks. With a little luck, the network will pick me up. This is Ripley, last survivor of the Nostromo, signing off.

Para o jantar preparámos Couscous de Couve-flor com Pesto de Hortelã e Nozes. Esta refeição vegan não só é deliciosa e rápida de preparar, como muito saudável e equilibrada.

Ingredientes: (nas quantidades que desejarem)

  • Couve-flor
  • Nozes
  • Azeite
  • Sal e pimenta
  • Folhas frescas de hortelã ( manjericão também é uma boa alternativa)

Preparação:

Cortem a couve-flor em pedacinhos tão pequenos quanto possível. Levem-na ao lume numa frigideira com o mínimo de água para que coza levemente sem se desfazer. Escorram o excesso de água, temperem com sal e pimenta e reservem.

Num almofariz ou processador de alimentos, misturem a hortelã com as nozes e azeite de modo a criar um  molho, temperem a gosto.

Antes de servir misturem a couve-flor com o pesto, decorem com mais nozes e umas folhinhas de hortelã. Para uma versão não vegan, acompanhem com um pouco de queijo parmesão ralado.

May 3, 2012

Ajvar e legumes grelhados

by ana

Um pequeno percalço com a saúde obriga-me, como sabem alguns dos clientes aqui da Padaria, a estar  um pouco mais ausente da minha casa e das vossas. Obrigada pelos vossos e-mails e mensagens, estou a colocar a escrita em dia o mais rapidamente que possa.

A sugestão de hoje é perfeita para uma refeição leve, pode comer-se fria ou quente e faz uma excelente marmita. Para a marmita do viking, e não gosto de congelar legumes grelhados, preparo-os na véspera e guardo-os no frigorífico.

O ajvar é um molho de origem sérvia  absolutamente delicioso, muito saudável e mil vezes melhor do que os molhos que possamos comprar feitos. O viking gosta de usá-lo a acompanhar carnes grelhadas ou salsichas, mas adaptou-se bem à sua substituição por legumes.

Eu preparo o ajvar em quantidades maiores, e guardo-o no frigorífico em frasquinhos, desde que tenham o cuidado de manter a superfície do molho coberta com um pouco de azeite para evitar que  oxide, dura várias semanas. Um frasquinho deste molho tão diferente e colorido é também um bom presente caseiro para quando vamos a um churrasco ou jantar de amigos.

Senão acompanharem a refeição com queijo feta, este é um prato 100%vegan e muito completo. Sirvo-o com pitas integrais cuja receita partilharei convosco brevemente.

Penso que todos sabemos grelhar vegetais. Eu faço-o num grelhador destes, mas podem optar também por assarem os legumes no forno o que é ainda mais fácil.

Para evitar usar demasiado gordura, as courgettes e as beringelas adoram azeite, grelho os legumes só salpicados de sal. Desde que a grelha esteja bastante quente, os legumes não se pegam e a casa não fica a cheirar a azeite. Depois de grelhados tempero os legumes com azeite, limão e um pouco de orégãos.

A receita do Ajvar:

Ingredientes:

  • 1beringela grande
  • 3pimentos vermelhos
  • 1dente de alho
  • 1chili fresco
  •  azeite
  • Sumo de limão
  • Sal e pimenta
  • Salsa picada

Preparação:

Aqueçam o forno a 225ºC.

Forrem o tabuleiro do forno com papel de alumínio.

Cortem a beringela e os pimentos em quartos. Coloquem-nos juntamente com o dente de alho com casca, no tabuleiro e levem ao forno até que estejam macios. (O dente de alho assa mais depressa, por isso e para evitar que se queime, eu escondo-o debaixo de um pedaço de pimento.)

Pelem a beringela, o alho e os pimentos. No processador de alimentos misturem os legumes com o chili, e parte da salsa picada. Aos poucos vão acrescentando sal, pimenta, azeite e sumo de limão. Quando o creme tiver a consistência e sabor que desejam, deitem-no em frascos, cubram a superfície com azeite e guardem no frigorífico.

April 18, 2012

À descoberta de antigos amores

by ana

Quando vivemos durante muito tempo longe do local onde crescemos, tornamo-nos aos poucos turistas na nossa terra. Há pessoas na televisão que não conhecemos, não percebemos metade das piadas e historietas que se contam e invariavelmente acabamos perdidos pelas ruas da nossa cidade.

Mas esta sensação de quase desenraizamento, tem também as suas vantagens. Tudo o que esquecemos, tudo o que durante anos nos foi demasiado próximo para que o pudéssemos notar,  se transforma  numa excitante e fantástica descoberta. Uma varanda de ferro forjado na rua por onde costumávamos passar todos os dias, as caixas de fruta à porta da mercearia, o design e cor das caixas de Nestum com mel.

Com a  comida a experiência é semelhante, e em cada prato esquecido há a redescoberta de uma infinidade de sabores e memórias que por instantes voltam a ganhar vida.

Numa das nossas últimas visitas a Portugal, deliciamo-nos com  o que para mim foi o reacender de uma velha chama, e para o viking  a descoberta de um novo amor: peixe frito e arroz de feijão. E embora no nosso dia-a-dia não tenhamos por hábito comer  fritos, para um almoço de fim-de-semana, comido sem pressa nem preocupações,  o sabor deste peixe bem temperado e estaladiço combinado com  o arroz acabado de fazer e ainda húmido e escorregadio, é um luxo de que não abdicamos.

Desta vez fiz usei feijão preto e chili fresco, mas outro dos nossos favoritos é o arroz de feijão vermelho com poejos que trago de Portugal. Como um dia não são dias, tempero bem os filetes e pano-os a sério, mas se não gostam ou não podem comer o peixe preparado desta forma, vejam esta opção super saudável e igualmente deliciosa.

Ingredientes (2/3 pessoas)

Peixe:

  • Filetes de peixe branco
  • 1 dente de alho picado
  • Sumo e raspa de 1 limão
  • Sal e pimenta
  • Chili fresco
  • Pão ralado
  • 1 ovo batido
  • Farinha
  • Óleo para fritar

Arroz:

  • Uma cebola pequena picada
  • 1 fio de azeite
  • 1 dl de arroz
  • 2 dl de feijão preto cozido
  • Sal e pimenta
  • Chili fresco

Preparação:

Algum tempo antes de preparar a refeição, temperem os filetes com o alho, o limão, sal, pimenta e um pouco de chili e reservem.

Escorram bem os filetes, passem-nos por farinha, depois pelo ovo batido, e finalmente pelo pão ralado. Disponham os filetes prontos a fritar num prato, e prepararem entretanto o arroz.

Num tachinho amoleçam a cebola com o azeite e chili, cuidado para não queimar. Acrescentem o arroz e fritem até estar translucido. Juntem a água a ferver, temperem,  misturem o feijão. Tapem o tacho e cozinhem em lume baixo/médio durante 8 minutos.

Aqueçam numa frigideira um pouco de óleo, uma altura de um dedo é o suficiente. Não aqueçam demasiado o óleo, eu mantenho o lume médio. Com cuidado coloquem os filetes na frigideira, virando-os quando estiverem dourados. Depois de prontos, coloquem-nos num prato forrado com papel absorvente.