A marmita do viking · Carne · Cozinha da Ásia e do Médio Oriente

Na marmita esta semana – Almôndegas, e não são suecas!

Mais uma deliciosa marmita que podem adaptar aos vossos gostos e necessidades. Fazer estas almôndegas em casa é muito mais fácil do que podem imaginar e é uma forma de saber que tipo de carne se está realmente a comer, e controlar a quantidade de sal dos alimentos.  O viking gosta de almôndegas com uma mistura de carne de vaca e porco, mas podem combinar o tipo de carnes que mais apreciarem. Já as tentei preparar sem pão ralado,  para uma versão low-carb da receita, mas desmancham-se imenso e fazem umas marmitas menos bonitas.

A curry paste, ou pasta de caril, vende-se também em Portugal,  se não gostam de comida “hot”  acrescentem-na em doses pequenas aos vossos cozinhados.Em vez de leite de coco, podem usar iogurte natural, notem no entanto que o iogurte  congelado pode talhar o molho da vossa marmita. Para me assegurar de que depois de descongelada e aquecida no micro-ondas, a marmita continua com bom aspecto, e com os legumes inteirinhos e saborosos, cozinho-os separadamente.

Ingredientes:

Almôndegas:

  • 450 gramas de carne picada
  • 2 colheres de sopa de pão ralado
  • 1 ovo batido
  • 1 colher de chá de pasta de caril vermelho

Estufado:

  • 2 pimentos
  • 1 cebola média
  • 1 dente de alho
  • 1 courgette
  • 2 cenouras
  • 1 lata de leite de coco
  • 1 fio de azeite
  • 1 colher de chá de pasta de caril
  • Sal (eu não uso porque a pasta de caril  é bastante salgada)

Para servir: lima e chili fresco

Preparação:

Comecem com as almôndegas:

Numa tigela grande misturem bem todos os ingredientes. Formem bolinhas com a carne e fritem-nas (é quase grilhar) numa frigideira anti-aderente em lume médio.  Eu não uso qualquer gordura na frigideira, mas se estão a preparar almôndegas com carne muito magra, talvez precisem de acrescentar um pouco de azeite.

Num tacho  coloquem a cebola cortada em meias luas, 1 colher de azeite e o dente de alho esmagado, cozinhem em lume médio até as cebolas estarem macias. (Muito cuidado com o uso de cebolas e alhos nas marmitas, certifiquem-se sempre de que estão bem cozinhados! Nada pior do que uma reunião com pessoas a cheirar a alhos!) Retirem do tacho e reservem.

Voltem a levar o tacho ao lume, com os pimentos cortados em tirinhas. Eu não acrescento gordura, mas vou agitando o tacho de modo a que os pimentos ao cozinhar quase se transformem em pimentos assados.  Retirem do tacho e reservem.

No mesmo tacho coloquem as cenouras e cozam-nas em pouquíssima água. Quando estiverem meio tenras, juntem o leite de coco, a pasta de caril, os restantes legumes e a courgette que vai cozer muito rapidamente. Acrescentem as almôndegas, rectifiquem os temperos e deixem apurar uns minutos.

Sirvam ou congelem decorado com umas tirinhas de chili fresco e raspa da casca de lima. (Nas marmitas do viking vai também um pouco de lima fresca que ele tira da caixa antes de aquecer a comida no micro-ondas, e espreme sobre as almôndegas antes de servir.)

A marmita do viking · Carne

Na marmita esta semana – Kassler com legumes assados

Um dos problemas que noto quando preparo marmitas para o viking, é que na maior parte das vezes a carne depois de cozinhada, congelada e aquecida, fica seca e com um aspecto pouco agradável. Evito portanto carne como bifes, bifanas ou carne assada. Em vez disso faço imensos estufados  e uso peças como fiambre e kassler. A vantagem dos últimos é que já se compram pré-cozinhados e têm uma camadinha de gordura que ajuda a carne a continuar suculenta.

 

 O kassler é uma peça de lombo de porco tradicional na Alemanha e muito comum também na Suécia e na Dinamarca. A carne é ligeiramente salgada e fumada, o sabor e aspecto é mais semelhante a fiambre do que enchidos como paio. (Pelo que me lembro do sabor do paio 🙂 ) Em Portugal  não sei se o conseguirão encontrar, mas podem usar porque não, uma peça de fiambre. Parece-me que comer fiambre sem ser em sandes, não é muito comum em Portugal, estarei errada?

 

Para este tipo de marmitas podem variar as ervas aromáticas que usam na carne e os legumes.   Habitualmente evito usar batatas porque não gosto do seu sabor e textura depois de congeladas, opto nabo sueco ou outro tipo de root vegetables de Inverno, no Verão escolho combinações mais leves.

Para 4 marmitas tamanho viking usei:

Ingredientes:

  • 1 nabo sueco  – descascado e partido em cubos grandes
  • 2 pimentos
  • 2 bolbos de funcho
  • 1 peça de kassler ou fiambre
  • Azeite
  • Sal e pimenta
  • Pimentão doce em pó
  • Tominho seco (já fiz também com alecrim e foi bem recebido pelo meat eater)

Preparação:

Se estão a usar root vegetables (tubérculos?), comecem por lhes dar uma pré cozedura em água com sal. O tempo que este prato demora no forno não é suficiente para que fiquem tenros.

Aqueçam o forno a 150ºC

Massagem a peça de carne (massagem soa-me tão mal, mas esfreguem ainda é pior…) com as ervas secas e o pimentão.

Num tabuleiro coloquem o funcho e os pimentos. (se os pedaços de funcho forem maiores, coloco funcho e passados 10 minutos os pimentos.) Temperem com sal e pimenta, um fio de azeite e levem ao forno até estarem quase completamente cozinhados.

Quando o nabo estiver tenro, (mas sem de desfazer), escorram-no e acrescentem-no aos outros legumes. Salpiquem-nos com as ervas secas e agitem o tabuleiro. No centro coloquem a carne. Levem ao forno até a carne estar douradinha e os legumes cozinhados. Quer usem fiambre quer encontrem kassler, não se esqueçam de que estas carnes já estão preparadas, e portanto só vão ao forno para ganhar um pouco de gosto e cor, não precisam de estar preocupados com tempo ou temperatura da carne.