A marmita do viking · cremes, dips, snacks e molhos salgados · refeições rápidas · vegetais e outros acompanhamentos

Ajvar e legumes grelhados


Um pequeno percalço com a saúde obriga-me, como sabem alguns dos clientes aqui da Padaria, a estar  um pouco mais ausente da minha casa e das vossas. Obrigada pelos vossos e-mails e mensagens, estou a colocar a escrita em dia o mais rapidamente que possa.

A sugestão de hoje é perfeita para uma refeição leve, pode comer-se fria ou quente e faz uma excelente marmita. Para a marmita do viking, e não gosto de congelar legumes grelhados, preparo-os na véspera e guardo-os no frigorífico.

O ajvar é um molho de origem sérvia  absolutamente delicioso, muito saudável e mil vezes melhor do que os molhos que possamos comprar feitos. O viking gosta de usá-lo a acompanhar carnes grelhadas ou salsichas, mas adaptou-se bem à sua substituição por legumes.

Eu preparo o ajvar em quantidades maiores, e guardo-o no frigorífico em frasquinhos, desde que tenham o cuidado de manter a superfície do molho coberta com um pouco de azeite para evitar que  oxide, dura várias semanas. Um frasquinho deste molho tão diferente e colorido é também um bom presente caseiro para quando vamos a um churrasco ou jantar de amigos.

Senão acompanharem a refeição com queijo feta, este é um prato 100%vegan e muito completo. Sirvo-o com pitas integrais cuja receita partilharei convosco brevemente.

Penso que todos sabemos grelhar vegetais. Eu faço-o num grelhador destes, mas podem optar também por assarem os legumes no forno o que é ainda mais fácil.

Para evitar usar demasiado gordura, as courgettes e as beringelas adoram azeite, grelho os legumes só salpicados de sal. Desde que a grelha esteja bastante quente, os legumes não se pegam e a casa não fica a cheirar a azeite. Depois de grelhados tempero os legumes com azeite, limão e um pouco de orégãos.

A receita do Ajvar:

Ingredientes:

  • 1beringela grande
  • 3pimentos vermelhos
  • 1dente de alho
  • 1chili fresco
  •  azeite
  • Sumo de limão
  • Sal e pimenta
  • Salsa picada

Preparação:

Aqueçam o forno a 225ºC.

Forrem o tabuleiro do forno com papel de alumínio.

Cortem a beringela e os pimentos em quartos. Coloquem-nos juntamente com o dente de alho com casca, no tabuleiro e levem ao forno até que estejam macios. (O dente de alho assa mais depressa, por isso e para evitar que se queime, eu escondo-o debaixo de um pedaço de pimento.)

Pelem a beringela, o alho e os pimentos. No processador de alimentos misturem os legumes com o chili, e parte da salsa picada. Aos poucos vão acrescentando sal, pimenta, azeite e sumo de limão. Quando o creme tiver a consistência e sabor que desejam, deitem-no em frascos, cubram a superfície com azeite e guardem no frigorífico.

A marmita do viking · A minha vida na Suécia · Peixe · Refeições light · refeições rápidas

Torsk com pimentos na marmita

Quando vivia em Portugal, lembro-me que trazer almocinho de casa para o trabalho, era sinónimo de pobreza ou pelo menos, algumas dificuldades financeiras. A recusa de se acompanhar o grupo de colegas ao restaurante da esquina para devorar o prato do dia em meia hora e voltar ao trabalho a tresandar a batatas fritas, era invariavelmente recebida como olhares de comiseração. Ela não vem? Não coitada, sabes como é…

Fora do país do fazer ver, sabia eu bem que o hábito da marmita nunca se havia perdido. Por que  motivo passaram os portugueses a preferir um panado comido de pé encostados ao balcão, a uma caixinha de comida caseira, é algo que nunca compreendi.

Há uns anos só quem se estivesse perfeitamente marimbando para o que era ou não socialmente aceite, tinha a coragem de levar a marmita de casa, hoje em dia,  marmitar está na moda. A mim cheira-me que em alguns casos esta é um tendência mais ditada por necessidades económicas do que por preocupações com o tipo de alimentação que fazemos, e que quando as vacas voltarem a engordar, a maioria dos marmiteiros vai voltar ao bitoque com ovo a cavalo…mas até ver…marmitemos. (Estarei errada? O que pensam? Pergunto-me por vezes se a imagem que tenho de Portugal corresponde ainda à realidade…)

 Convencer o  viking a levar almoço  para o trabalho não foi uma tarefa fácil, habituado a morar sozinho, tinha por hábito almoçar fora todos os dias e jantar em casa apenas umas wasa e fruta com chá. Com a minha chegada, o frigorífico encheu-se de legumes e produtos frescos, os tachos começaram a ser usados, e passou a haver refeições em casa e na marmita.

Eu nunca como mais do que fruta, iogurtes ou sopa ao almoço e portanto todas as marmitas que faço são para o viking que desde que começou a levar o almoço de casa até já perdeu peso! Já partilhei convosco algumas receitas que podem ser transformadas em marmitas, são sempre refeições leves mas que deixem o viking satisfeito.

Ao contrário de muitas pessoas que levam na marmita o jantar da véspera, eu cozinho especialmente para as marmitas,  em quantidades grandes que congelo já em doses, usando ingredientes e receitas que:

  •  congelem bem  (não sequem demasiado, não percam o sabor e consistência originais)
  • sejam baixos em hidratos de carbono simples (queremos uma refeição que nos dê energia, não sono)
  • cheirem bem e estejam apresentáveis depois de aquecidas

Este peixe com pimentos é tão tão delicioso e aromático que o viking não resistiu e me pediu este domingo para comer a marmita em casa ao jantar. (Duas doses da marmita não chegaram a ver o interior de uma caixa) Uso torsk ou cod certificado pelo MCS, (da família do bacalhau, m sem ser salgado), mas podem preparar a receita com outros peixes do mesmo tipo.

Ingredientes  (3 marmitas tamanho viking)

  • Lombos de peixe
  • 1 pimento vermelho
  • 1 dente de alho
  • 2 bolbos de funcho
  • 2 caixas de tomates cereja
  • 2 pimentos amarelos
  • 4 colheres de sopa de azeite
  • Sal e pimenta

 Preparação:

Coloquem o funcho partido em pedaços num tabuleiro, temperem-no levemente com sal, salpiquem com azeite e levem ao forno aquecido a 150ºC. Passados 10 minutos acrescentem os pimentos amarelos.

No processador de alimentos piquem o alho com o pimento vermelho, sal, pimenta e o restante azeite.

Quando os legumes estiverem quase tenros, retirem o tabuleiro do forno, juntem os tomatinhos e agitem bem para que todos os ingredientes estejam misturados. Ao centro do tabuleiro abram uma pequena área para colocarem os lombos de peixe, previamente temperados com sal e pimenta. Cubram os lombos de peixe com o puré de pimento vermelho. Levem o tabuleiro ao forno (180ºC), até o peixe atingir uma temperatura de 45ºC, o que no meu forno e com o tamanho dos lombos de torsk demorou pouco mais do que 10 minutos. Tenham cuidado para não deixar o peixe cozinhar demais, não se esqueçam que ao aquecê-lo no micro ondas vais secar um pouco mais.