A Pastelaria · bolos e sobremesas

Savarin com whisky – Um bolo especial para o nosso paizinho

O nosso paizinho é um viking cheio de sorte, todos os anos festeja duas vezes o Dia do Pai, em Março como a mãezinha diz que se faz em Portugal, e em Novembro como é hábito aqui na Suécia.

Como vocês sabem a mãezinha, gosta muito de cozinhar, e em especial de preparar bolos e pão. A nossa cozinha é  o lugar mais quentinho da casa por causa do forno e do fogão  de onde estão sempre a sair bolos diferentes e que cheiram muito bem.  Enquanto a mãezinha cozinha ou escreve, nós sentamo-nos perto dela, dormimos sestas no parapeito da janela, ou deitamo-nos em cima dos livros que está ler.

Para o Dia do Pai pedimos à nossa mãe que nos ajudasse a escolher e preparar um bolo especial que se chama  Savarin em honra do senhor que escreveu o livro que a mãezinha às vezes nos lê antes de adormecermos.
Como nós  não gostamos de doces, pudemos   ensopar o bolo num xarope de whisky que  é a bebida favorita do nosso pai. (Os adultos humanos gostam de coisas muito estranhas!)
A receita é muito simples, e diferente dos bolos habituais, até leveda como os pães!! Nós temos umas mãozinhas muito pequenas, e precisámos de ajuda para misturar a massa, mas escolhemos e barrámos a forma sozinhos!

Se vão preparar uma grande festa para os vossos paizinhos e querem também fazer este bolo, usem pelo menos duas vezes esta receita. O bolo que fizemos  é pequenito porque é só para os nossos paizinhos. (Para nós a mãe preparou uma tacinha de chantilly sem açúcar.)

Para fazerem um bolo igualzinho ao nosso vão precisar de: 

  • 1 colher de sopa de icing sugar
  • 150 gramas de farinha
  • 60 gramas de manteiga
  • 1 dl de leite
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher de chá (rasa) de fermento de padeiro seco
  • Raspa de uma laranja
  • 2 ovos

Para o xarope:

  • 120  gramas de açúcar
  • 1dl de água
  • 1dl de whisky

Para servir e decorar:

  • Chantilly ou creme de baunilha e fruta

Como fizemos:

Misturámos todos os ingredientes secos numa tigela. Enquanto a mãe aqueceu o leite e dissolveu o fermento num pouco de água entre o frio e o quente, (a mãezinha diz que se chama tépida), nós barrámos e polvilhámos a forma com farinha.
Noutra tigela misturámos o leite, os ovos, a raspa da laranja e o fermento dissolvido. Depois juntámos as duas misturas e batemos tudo muito bem. (A mãe bateu com uma colher de pau e nós segurámos na tigela.)
Tapámos a tigela e deixámos a massa levedar até estar duas vezes maior do que era ao princípio. Depois juntámos a manteiga amolecida e a mãezinha bateu tudo até a massa parecer mais ou menos como a massa de um bolo normal mas mais elástica.
Deitámos tudo na forma e a mãe colocou-a no forno que já estava muito quente (220ºC), o bolo demorou 25 minutos a ficar pronto. Para saber se já estava cozido, a mãe tirou o bolo do forno e nós espetámos uns palitos na massa, os palitos saíram limpinhos  e secos, o que quer dizer que o bolo estava pronto.
Depois a mãe deitou o xarope que fez levando ao lume o açúcar, a  água e o whisky, por cima do bolo ainda na forma e deixámos arrefecer. (A mãezinha manda dizer que podem usar sumo de laranja ou limão para fazer o xarope, ou outra bebida de que os vossos pais gostem.)
Quando o bolo ficou frio, tirámos o bolo da forma e decorámos com chantilly  e amoras e framboesas.
 
Esperamos que gostem e que passem um bom dia do pai! E se não puderem estar junto dos vossos paizinhos no domingo,  festejem também o dia  pensado neles.
 
Willow & Lestat